Ad Clicks :Ad Views : Ad Clicks :Ad Views : Ad Clicks :Ad Views : Ad Clicks :Ad Views : Ad Clicks :Ad Views : Ad Clicks :Ad Views : Ad Clicks :Ad Views : Ad Clicks :Ad Views : Ad Clicks :Ad Views : Ad Clicks :Ad Views : Ad Clicks :Ad Views : Ad Clicks :Ad Views : Ad Clicks :Ad Views : Ad Clicks :Ad Views : Ad Clicks :Ad Views :
img

Giardíase: dor abdominal e diarreia?

Giardíase é uma doença intestinal causada por um protozoário da espécie Giardia duodenalis. É um dos principais parasitas humanos, principalmente em países “pobres”. Além disso, é uma das maiores causas de diarreia nas crianças. Nos países desenvolvidos, embora as parasitoses tenham uma incidência menor, é o principal parasita intestinal.

protozoário da giardíase é Giardia lamblia ou Giardia duodenalis

TRANSMISSÃO

A Giardia tem duas fases de vida: uma forma ativa e uma inativa, chamada cisto, que é o protozoário dentro de uma “capa” resistente e protetora. A pessoa se contamina quando ingere esses cistos. Mas como isso acontece? São várias as possibilidades:

– Ingestão de água ou alimentos contaminados.

– Mãos contaminadas após ter contato com fezes pessoas ou animais domésticos infectados.

– Sexo oral no ânus do (a) parceiro (a).

– Sexo oral precedido de sexo anal sem uma correta higienização.

SINTOMAS

No estômago, o cisto começa a se desfazer e quando chega no intestino delgado, já está na sua forma ativa e “gruda” neste local. Devido à inflamação que causa, à liberação de substâncias irritantes e ao fato de “cobrir” alguns trechos do intestino, provocará vários sintomas, que podem variar muito em cada pessoa. O mais comum em adultos saudáveis é a não ocorrência de sintomas e, com o tempo, o próprio corpo acabar eliminando o protozoário. Porém, em imunodeficientes (HIV positivos, pacientes tratados com quimioterapia ou com corticoides…), em algumas crianças ou idosos, em subnutridos e até mesmo em algumas pessoas “normais”, podem surgir durante alguns dias:

– Diarreia, fezes gordurosas, deficiência de algumas vitaminas (principalmente A, D, E e K), náuseas, azia, dor abdominal, dificuldade de digestão, entre outros.

DIAGNÓSTICO

O médico analisará os sintomas descritos pela pessoa e poderá utilizar alguns exames laboratoriais, como o exame de fezes (feito três vezes, em dias não consecutivos, para maior chance de detecção).

TRATAMENTO

Geralmente as primeiras escolhas são: Metronidazol (por 5 a 7 dias), Secnidazol ou Tinidazol (2 g em dose única), Nitazoxanida (por 3 dias) ou ainda Albendazol (por 5 dias). Este último tem a vantagem de ser tão eficiente quanto o Metronidazol e, ao mesmo tempo, ter menos efeitos colaterais. Um cuidado a ser tomado é que mulheres grávidas ou que amamentam não podem tomá-lo (e os demais medicamentos citados, somente com liberação médica). O consumo de álcool também está proibido durante o tratamento e nos 4 dias após seu término).

PREVENÇÃO

– A Giardia é bem resistente ao cloro, portanto, deixar os alimentos imersos em água com solução clorada não é muito eficiente na destruição deste protozoário. É importante filtrar a água para ser tomada ou fervê-la durante 5 minutos e cozinhar bem os alimentos.

– Saneamento básico (lugar de fezes é no banheiro apenas!)

– Higiene adequada das mãos e objetos de uso pessoal.

– Combate a moscas (podem contaminar alimentos e objetos com o protozoário).

– Evitar contato direto com fezes humanas e de animais domésticos.

– Manter a vacinação dos animais em dia.

– Cuidado durante as relações sexuais, evitando o que foi descrito em “Transmissão”.

Autor: Wésley de Sousa Câmara

Referências:
NEVES, David Pereira; Parasitologia Humana. 11ª edição, 2004. Editora Atheneu.

 

  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • Linkedin
  • Pinterest
error: Content is protected !!